terça-feira, 30 de junho de 2009

ShortOkapi — apresentação

Publicado por 
Olá, sou o ShortOkapi (explicação no fim).

Daqui a quatro horas tenho uma reunião com a autora de um livro que eu talvez venha a adaptar para cinema, e que dará um filme romântico, um chick flick. Sim, e então? É que vou propor um final em aberto que não colida com a história do livro mas deixe a sugestão de que a protagonista poderá optar por uma relação poliamorosa.

Sim, estou conscientemente a ser "activista". Mas não pretendo arcar com a missão de espalhar o evangelho poly, apesar de acreditar — mais do que os outros bloguistas, creio — que o poliamor é o futuro das relações, e só não é o passado porque andámos enganados. Há uns meses perguntei à Lara o que a fazia empenhar-se na manutenção do site e nas restantes actividades que tem levado a cabo (divulgação, panfletos, participação em marchas, entrevistas, etc). Deixou-me feliz ficar a saber que o que a move é tão simples como o que a mim faz também mexer: o desejo de conhecer gente que esteja no mesmo comprimento de onda e a quem não seja necessário reexplicar exaustivamente o que é isto de ser poliamorista. E pelo meio poder encontrar amigos, amantes, amores. E tenho-os descoberto amiúde.

Por sorte posso descontraidamente publicar o meu nome e a minha foto sem que por isso ponha em causa o meu posto de trabalho ou o meu lugar na família. Quem quiser saber mais sobre mim, de resto, pode sempre começar no meu Perfil Google.

Nas próximas mensagens que assinar, no entanto, falarei muitas vezes na terceira pessoa. E vou sempre chamar N. a tod@s @s protagonistas das histórias que contar. Mesmo que alguns dos N. sejam eu próprio. E vou baralhar o género propositadamente. Faço isso apenas porque algumas das histórias que me apetece contar envolvem amigos e amigas minhas cuja privacidade respeito; ou amig@s deles e delas cuja privacidade tenho de respeitar.

Para terminar: ShortOkapi porquê?

Quem me conhecer sabe porquê "Short". Sou um dos mais baixos não-anões da Península Ibérica. É apenas descritivo, portanto.

"Okapi" não, é wishful thinking, um quem-me-dera. O ocapi é uma espécie de girafa enfezada com uma característica invulgar: é o único mamífero capaz de lamber as suas próprias orelhas. Por dentro e por fora.

1 comentário:

Lara disse...

Pronto, ainda nem entrei e já o gajo vem para aqui insinuar que ando nisto pelo engate :p
O que eu disse foi que o meu objectivo central era um dia poder dizer a alguém "Sou poly", como quem diz "Sou gay". Independentemente da cara que te façam, já ninguém pergunta "O que é isso?", nem "Como é que funciona exactamente?".
Esse objectivo foi atingido no outro dia, nos teus anos, quando o disse a uma pessoa que tinha acabado de conhecer e ele largou um "Aaahh, sei o que é", e a conversa pôde continuar sem o típico intervalo de 3 horas de explicações e questões filosóficas.
(Também sou capaz de ter mencionado alguma coisa sobre amigos, amantes ou amores, mas provavelmente já me tinhas pago uma ou duas imperiais)
Beijo!!