segunda-feira, 4 de outubro de 2010

já chegou à moderação e ao coaching...

Publicado por 
Viver há tanto tempo fora de Portugal e ter recusado consciente e convictamente deixar de ler jornais portugueses quando o Público decidiu cortar nas despesas e nos revisores (e passar a ter erros piores que os disléxicos erros meus, má fortuna e amores ardentes), ou seja, há bastante tempo, torna-me uma pessoa alienada do que é que se passa. Gosto de acreditar que os contactos que tenho me vão passando não só uma ideia do zeitgeist, mas também um pouco do dia-a-dia em Portugal.

Isto tudo para dizer, que tanto quanto sei, corrijam-me se estiver errada, ainda não chegou a Portugal a onda do acompanhamento psicológico para indivíduos ou casais, o coaching, o aconselhamento. Ou pelo menos ainda não chegou às vidas das pessoas com quem falo e escrevo regularmente. Estes serviços geralmente oferecem várias coisas, desde gestão e moderação de conflitos, passando por treino de soft-skills e coaching, quer para decisões que afectem carreira ou vida privada, até acompanhamento na procura de visões ou objectivos de longo prazo.Não, não é pago pela caixa, mas é bastante popular, e as pessoas que conheço que usam estes serviços geralmente dão o dinheiro por bem empregue. Para mim, portugalidade ou não, não gosto de meter pessoas estranhas a resolver os meus problemas, e se puder resolvo-os sozinha, mesmo correndo o risco de rebentar. Ok, usei uma vez um serviço destes, com alguns caíres de queixo a propósito de constelações poly, mas a história fica para outro dia.

Depois desta contextualização toda, aquilo que quero contar acaba por ocupar apenas uma linha ou duas. Num sítio que frequento, que costuma organizar eventos artísticos à volta da sex-positiveness, e que é claramente poly no seu manifesto, encontrei um flier dum destes serviços, dirigido especialmente a pessoas poly.

Reza assim (em parêntesis comentários ou complementos meus)

"(A) Vida poliamorosa (em letras garrafais)
...é excitante, carinhosa, complexa, e muitas vezes também complicada.
Um olhar de fora ajuda em "ensarilhamentos" não desejados.

Coaching sistémico, com competência e respeito por conceitos de vida específicos - para indivíduos, casais, ou relações com mais que uma pessoa.

Fulana de tal,
Contacto, etc"

Já somos mercado. Wir sind markt.

1 comentário:

Lara disse...

Não diria que é moda, mas sim, já chegou a Portugal há uns anos. Para quem estiver interessado, há todo um portal com recursos e contactos: www.coachingportugal.com. Duvido é que haja gente poly-aware.