terça-feira, 1 de setembro de 2009

Agitprop

Publicado por 

Há quem afirme ter gaydar a ponto de produzir frases como «aquela pessoa é gay, só não sabe ainda que o é» (eu acho altamente duvidoso mas de facto a intuição é um bicho estranho). No entanto, ainda não conheci ninguém que afirme ter um poly-detector.

Ora, sem poly-detector como posso eu encontrar pessoas poly fora do círculo do PolyPortugal? Como posso eu recrutar pessoas poly sem ir para um comício gritar «My name is Miguel Viterbo and I'm here to recruit you»?

Bem, uma das minhas actividades naturais tem sido a «divulgação» poly. Mas o que me dá gozo de vez em quando é fazer a divulgação, mesmo assim, sem aspas. Ou, melhor ainda, meter-me em acções subversivas. Quem leu o livro ou viu o filme Fight Club (Clube de combate) não esquecerá nunca o poder do tumulto e da agitprop.

Faz agora um ano, fui ao casamento de um amigo meu. Ele sabe o que eu penso sobre relações afectivas e sobre o casamento. Por isso, fechou os olhos, incrédulo, mas sorriu-me quando o chefe de sala, durante o copo-d'água, distribuiu por todos os convidados, entre o primeiro e o segundo prato, panfletos de divulgação do poliamor.

E, de facto, acabou por não ser só uma blague: depois de perceberem que aquilo não estava no programa oficial (ou seja, que os noivos não tinham enlouquecido), algumas pessoas passaram mesmo o fim da tarde a falar comigo sobre o conceito.

É preciso ir espalhando a palavra, é preciso ir semeando. E está na altura de outra acção do género. O Borda d'Água é que manda: em Setembro, semear amores-perfeitos.

4 comentários:

brisadomar disse...

A ultima agit prop de alto contraste, digamos assim, que me lembro de ter feito, foi ter semeado panfletos ambientalistas contra multinacionais numa agencia bancária do BCP cheia de câmaras de vigilância. Infelizmente quando terminei não tive oportunidade de fazer uma tertulia com os bancários para explicar os efeitos novcivos de certos agroquimicos... Ganhaste-me em eficácia mas não em «contraste» :-)

U.

ShortOkapi disse...

Boa, boa, U. :)

Tudo se torna mais eficaz quando há uma dose qualquer de humor. A eventual eficácia (= no mínimo, pôr as pessoas a pensar) dessa tua acção terá dependido apenas do texto do panfleto.

Mas sim, o conceito de contraste é já por si subversivamente engraçado. E aí _talvez_ me tenhas ganho. ;) :)

brisadomar disse...

Ora, e eu precisamente aqui a discutir com uma colega a total falta de sentido das competições tout court... :):)

U.

Shakil disse...

À terça é sempre bom ler as coisas do ShortOkapi :)